O Evangelho de Jesus | Paul Washer

Paul Washer, expondo Romanos 3:21-25, fala sobre o glorioso evangelho de Jesus Cristo*. Ele explica o significa as palavras “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”, mostrando também a importância de um bom conhecimento dos atributos de Deus para se entender adequadamente o Evangelho.

“Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos;” (Rm 3:21-25)

Se você não tem a mais alta visão de Deus e de Seus atributos, você não conseguirá entender a podridão dos seus pecados.

Se vês um ladrão, tu te comprazes nele e aos adúlteros te associas. Soltas a boca para o mal, e a tua língua trama enganos. Sentas-te para falar contra teu irmão e difamas o filho de tua mãe. Tens feito estas coisas, e eu me calei; pensavas que eu era teu igual; mas eu te arguirei e porei tudo à tua vista. (Sl 50:18-21)

Os pregadores de hoje caem neste erro de diminuir a glória de Deus e exaltar o homem. Eles tornam Deus igual ao homem. O que o Brasil precisa para haver transformação é a exposição das glórias e dos atributos de Deus e não de pequenos princípios para viver uma vida melhor. Este tipo de pregação humanista só tem diminuído a glória de Deus.

Você foi criado em um mundo onde tudo parece ser sobre você. Mas não é. Tudo é sobre Cristo!

As pessoas estão presas em pecados, alegres no pecado, elas buscam novas maneiras de pecar, pois não há temor de Deus na terra. Por que por que não há conhecimento de Deus na terra. Do que esse país precisa? Do que ele precisa pra entender o evangelho? Entender a natureza de Deus. Onde estão os pregadores que carregam como mordomia dentro de si mesmo serem escribas e tornar conhecido ao povo conhecimento de Deus. Nós fazemos tantas coisas mas não fazemos a principal delas. Quantos de vocês estudaram os atributos de Deus? Vocês gastaram alguns anos apenas conhece do essa essas através das Escrituras? O maior de todos os conhecimentos é o conhecimento de Deus. Teologia uma vez foi chamada a rainha de todas as ciências, mas dentro disto há a maior de todas as teologias: quem é Deus? E quando você vê isso, você começa a entender pecado.

Imagine que estamos no começo da criação. Deus fala uma palavra aas estrelas e elas todas encontram seu lugar no espaço e cantam a ele. Ele ordena os planetas a colocarem-se em locais diferentes das órbitas e todos os obedecem, montanhas, vales e mares, todos obedecem. Então, ele olha pra você, ele diz vem, e você diz não. É por isso que no dia de juízo toda a criação se voltará contra o homem e vai aplaudir a destruição da humanidade caída. Você tem que entender que você foi criado em um mundo que parece que você é o entro: não é assim! Tudo o que já foi feito, tudo o que há foi realizado na mente de Deus gira em torno de seu filho. Todos pecaram

“sendo justificados gratuitamente, por sua graça,”

No momento em que uma pessoa crê em Cristo, Deus a declara legalmente justa diante dele.

“sendo justificados gratuitamente, por sua graça,”

Paulo dedica os três primeiros capítulos de Romanos para demonstrar a pecaminosidade do homem, pois até estarmos convencidos da natureza horrenda do nosso pecado, não conseguimos apreciar a graça divina. A graça de Deus brilha mais forte sobre o pano de fundo negro do pecado. Se um pregador não pregar sobre pecado, ele está roubando a sua congregação de apreciar verdadeiramente a Deus e o que Ele fez por ela em Cristo Jesus.

Existem duas religiões no mundo: a religião das obras e a religião da graça. Somente o cristianismo bíblico é uma religião de graça. Muçulmanos, judeus, espíritas todos acreditam ser salvos por suas obras. Já o cristão quando perguntado o porquê ele vai para o céu diz: “eu sou um pecador, nascido em pecado e nunca fez nada além de pecar, mas irei ao céu pelo mérito de Jesus Cristo, meu Senhor”. Uma religião de obras não é nada além de uma tentativa humana de tomar o trono de Deus, tornando Ele seu devedor. O homem nunca deu sequer uma razão para Deus lhe declarar justo.

“mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação,”

E, passando o SENHOR por diante dele, clamou: SENHOR, SENHOR Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniquidade dos pais nos filhos e nos filhos dos filhos, até à terceira e quarta geração! (Ex 34:6-7)

Neste texto, vemos o anúncio de que Deus perdoa o pecado. Mas perceba que ao mesmo tempo Ele não inocenta o culpado. Como isso pode ser? Como Deus pode ser justo e encobrir o pecado (Rm 4:7,8)? Esta é a grande questão da Bíblia. Paulo fala em Romanos que Deus justifica o ímpio. Mas Provérbios 17:15 dirá: “O que justifica o perverso e o que condena o justo abomináveis são para o SENHOR, tanto um como o outro”. Como Deus pode justificar alguém sem se tornar abomináveis para Si Mesmo. A grande questão das Escrituras é que se Deus é justo Ele não pode, nem deve perdoá-lo. Então como Deus pode perdoar o ímpio?

Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. (2Co 5:21)

Cristo jamais conheceu o pecado. Ele nunca quebrou o maior dos mandamentos ou o menor. Não houve sequer um momento em que Jesus não amou a Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento.

Este Cristo sem mácula pagou o preço da nossa redenção. Ele pagou este preço a Deus e não para o diabo. Jesus aplacou a ira de Deus através do Seu sacrifício (propiciação). A propiciação torna possível que o Deus justo justifique ímpios. O diabo não era seu problema. Deus em sua justiça e sua ira era o seu problema. Deus não pode negar a sua justiça para perdoá-lo. Para salvá-lo, Deus teve que satisfazer a Sua própria justiça, derramando a Sua ira em Cristo no seu lugar.

Muito do evangelismo moderno não fala nada sobre isso. Evangelismo superficial já mandou mais pessoas para o inferno do que todos as seitas. Precisamos conhecer, viver e pregar o Evangelho de Jesus Cristo.

Por: Paul Washer. Editora Fiel 2006 – 2012 © Todos os direitos reservados.

Resumo por: Voltemos ao Evangelho ©. Website: www.voltemosaoevangelho.com

Permissões do Resumo: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e seu ministério, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s